Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MObfloripa | Guia

FITZZ | e-bikes

Everbike

PLAMUS

MIX Rocha


Centenas de ciclistas participam de protestos e homenagens no final de semana em Florianópolis



O sábado de sol e praia foi também um dia de luto para os 200 ciclistas presentes à manifestação.




Data:

13/02/2012

Fonte:

Da Redação | Felipe Albertoni

Fonte da imagem:

Felipe Albertoni e Vinícius Leyser da Rosa

TAGs:

bicletas, bicicletada, ciclovias, rodovia SC-401, protesto, manifestação, segurança

Editoria:

Bicicleta


Atualização: 13/02/2012



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Magrelas, gratuitas e eficientes em Brasília



* Bicicletas podem garantir mais segurança no trânsito em Florianópolis



* O papel da bicicleta na mobilidade urbana de Portugal



* Deputados de SC aprovam Lei para mobilidade não-motorizada.



* Conheça o Blog MOVIMENTO CICLOVIA DA LAGOA JÁ





Emílio Delfino e Hector Galeano, mortos na SC-401, foram lembrados em manifestações

O último final de semana foi marcado por protestos dos ciclistas de Florianópolis. Tanto no sábado, dia 11, quanto no domingo, 12, um grande número de usuários reuniu-se em Bicicletadas que tinham uma dupla função: homenagear dois ciclistas que foram mortos quando pedalavam na SC-401 e pedir por mais segurança para quem anda de bike nas vias da Capital.

Ambas as manifestações chamaram muita atenção. No sábado, 11, cerca de 200 pessoas integraram o grupo que reuniu-se em frente ao Shopping Iguatemi, na Beira-Mar Norte, e partiu rumo ao local onde o estudante Emílio Delfino foi morto, há pouco mais de uma semana, na SC-401. A concentração de ciclistas foi tão grande que o tráfego de veículos no sentido Centro-Bairro da rodovia teve que ser parcialmente interrompido. Ainda assim - e apesar dos diversos avisos nas redes sociais da Internet de que a manifestação ocorreria - a Polícia Militar não preparou nenhum esquema de segurança para os ciclistas e só apareceu quando o trânsito na rodovia ficou praticamente paralisado.

Para marcar o local do falecimento de Delfino, próximo ao cemitério Jardim da Paz, uma 'bicicleta-fantasma' (ghost-bike) foi erguida e pendurada em um poste. Enquanto centenas de curiosos passavam em veículos lentamente por aquele ponto, um dos organizadores do protesto, o biólogo Daniel de A. Costa, discursou contra a falta de ciclovias adequadas na cidade e contra a impunidade no trânsito, principalmente em casos de embriaguez. O motorista que atropelou Delfino, em uma manhã de domingo, recusou-se a fazer o teste do bafômetro após o ocorrido.

A Bicicletada de sábado repercutiu na imprensa local. Ainda no mesmo dia, durante a apresentação de seu programa televisivo na RIC Record, Hélio Costa criticou a falta de segurança para os ciclistas em Florianópolis e de policiais que acompanhassem o grupo durante o trajeto do protesto. Já o Jornal do Almoço, da RBS TV, criticou o fato de os ciclistas realizarem a manifestação em local sem ciclovia e de grande movimento, por atrapalhar o tráfego e pela chance de ocorrerem novos acidentes.

No dia seguinte, domingo, dia 12, uma nova Bicicletada ocorreu, desta vez para lembrar do falecimento do argentino Hector Galeano, morto em janeiro deste ano próximo ao trevo de Canasvieiras. Assim como no caso de Delfino, Galeano foi atropelado por um motorista com sinais de embriaguez que recusou-se a fazer o teste de bafômetro. Apesar do segundo protesto ter tido menos participantes do que o do dia anterior, desta vez um destacamento da Polícia Militar proveu segurança para os ciclistas.

Infelizmente, na noite desse domingo, por volta das 23h, mais um ciclista foi atropelado na avenida Beira-Mar Norte e levado ao hospital em estado grave. Até o fechamento desta matéria não havia sido confirmado o estado de saúde do ciclista ou sua identidade.


 








Assista o registro de um intenauta no Youtube.