Busca por Ônibus em Florianópolis



 Buscar  
 Buscar

Parceiros:


  
MIX Rocha

FITZZ | e-bikes

PLAMUS

MObfloripa | Guia

Everbike


I Fórum Mundial da Bicicleta é marcado por homenagens, protestos e discussão sobre o papel da bike na mobilidade urbana



Com recorde de participantes, movimento Bicicletada, ou Massa Crítica para os gaúchos, foi o grande destaque do Fórum.


FOTO: Ramiro Furquim 

Data:

28/02/2012

Fonte:

Da redação | Felipe Albertoni | com contribuição do blog bicicletanarua.wordpress.com.br

Fonte da imagem:

Divulgação e Ramiro Furquim | Portal Sul21

TAGs:

forum, porto alegre, poa, bicicletas, manifestação, bicicletada, massa crítica

Editoria:

Bicicletas


Atualização: 28/02/2012



 

imprimir artigo



 

enviar por e-mail



Share/Bookmark

Leia também...

* Magrelas, gratuitas e eficientes em Brasília



* Bicicletas podem garantir mais segurança no trânsito em Florianópolis



* O futuro do transporte está nas bicicletas?



* Novas "highways" para bicicletas fazem sucesso em Londres



* Bicicleta: o meio de transporte do futuro





Porto Alegre sediou, entre quinta-feira (23) e domingo (26) passados, o I Fórum Mundial da Bicicleta. Milhares de ciclistas de diversas partes do país e do mundo participaram do evento, sediado na Usina do Gasômetro, com palestras sobre diversos assuntos relacionados ao uso da bicicleta, além de oficinas e passeios em grupo pelas ruas da capital gaúcha. A data do Fórum foi escolhida por marcar um ano da trágica edição da Bicicletada em que 17 pessoas foram brutalmente atropeladas e feridas pelo funcionário público Ricardo Neis. Apesar do caso ter chocado o mundo, Neis segue em liberdade.

Na quinta, primeiro dia do Fórum, foram realizados painéis e apresentações sobre a mobilidade urbana e o papel que a bicicleta pode ter no cotidiano das cidades. Professores, empresários e consultores defenderam a integração da bicicleta ao sistema de transporte público, sugerindo, por exemplo, a instalação de bicicletários seguros dentro dos terminais de ônibus. Foram exemplificados os casos de países como a Holanda, onde a bicicleta é considerada um meio de transporte vital e há ciclovias por todo o território nacional. Outro assunto abordado foi o preconceito, já que boa parte da população brasileira considera que andar de bicicleta é sinônimo de pobreza, e não uma opção.

O destaque do Fórum aconteceu na sexta à noite, quando mais de 1,5 mil pessoas participaram da Bicicletada em homenagem às vitimas do atropelamento em massa ocorrido no ano passado. Conhecido em Porto Alegre como Massa Crítica (Critical Mass em inglês), o passeio pelas ruas da cidade contou com a participação do norte-americano Chris Carlsson, um dos idealizadores do movimento original, criado em São Francisco. No local do atropelamento, na Rua José do Patrocínio, os ciclistas deitaram no chão e ocuparam o quarteirão para homenagear as pessoas que foram atropeladas. Durante o dia foram realizadas oficinas que trataram de diversos assuntos, desde instruções para iniciantes no uso da bike até formas de usar a energia solar como combustível para a locomoção.

No sábado, além de outras palestras, dois novos passeios em grupo foram realizados. O primeiro foi mais uma homenagem ao caso do atropelamento de 2011 e, quando o grupo chegou ao local do ocorrido, vítimas relataram as dificuldades na recuperação física e psicológica após o incidente. Mais tarde, de forma bem-humorada, pouco mais de 100 pessoas participaram da primeira Pedalada Pelada da cidade. Vestidos apenas com as roupas de baixo, os ciclistas protestaram por melhores condições e por menos carros nas ruas, gritando frases como: "Nus, é assim que nos sentimos no trânsito".

O último dia do Fórum Mundial da Bicicleta foi marcado por palestras sobre Internet, ciclismo profissional, meio-ambiente e pela oficina sobre a Bicicletada Nacional para a Rio +20, conferência que será realizada em junho no Rio de Janeiro. No fim, shows das bandas Plá, Apanhador Só e Bandinha Di Dá Dó encerraram o evento, comprovando que os defensores da bicicleta não estão para brincadeira.

De bike até POA

Um grupo de ciclistas partiu de Florianópolis com três dias de antecedência em direção ao Fórum, em Porto Alegre. Eles pedalaram por cerca de 500 quilômetros na serra e em estradas de terra pouco conhecidas. Segundo o estudante de cinema Vinícius Leyser da Rosa, o esforço valeu a pena. Confira o relato da viagem que Leyser descreveu na rede social Facebook:

"Pedalar pela serra por 3 dias com mais de 35ºC e nenhuma nuvem, 100km por dia, com muita subida, algumas descidas muito boas, cachoeiras, cidadezinhas minúsculas, estradas de terra e paisagens únicas."

"Descobrir que na verdade nem tudo são flores, porque o que tem de desmatamento, erosão, pinus, milho e frango não é brincadeira"

"Parar no hospital em Turvo por desidratação, tomar 1L de soro na veia e ainda pedalar 90km de tarde pra não atrasar muito a viagem"

"Pedalar 180km em um dia pra chegar em Porto Alegre pelo menos no dia certo, ainda que só as 23h"

"Pedalar com mais 1800 ciclistas numa Bicicletada que ocupou literalmente quilometros das ruas de Porto Alegre, oportunidade única de conhecer a cidade de uma maneira simplesmente perfeita... e ter um pneu furado no meio disso tudo (¬¬) mas contar com um batalhão de pessoas que fizeram a troca parecer um pitstop da Formula-1"

"Pedalar pelado na chuva com mais 120 ciclistas pelados, bloquear ruas e pedir pros carros esperarem o grupo passar... pelado... com 3 pistas de faróis iluminando a tua bunda... numa cidade que tu não conhece... com 116 pessoas que tu não conhece..."

"Não tem preço. Mas custou +-R$100, e valeu cada centavo."

"E amanhã começa a segunda metade da viagem, de volta a Floripa o/"

Documentário

A cineasta Natália Amaral dirigiu um elogiado documentário em curta-metragem sobre o episódio do atropelamento dos 17 ciclistas em 2011, entitulado "Massa Crítica - Lavando a Alma". Assista ao documentário no YouTube:



Saiba mais sobre Bicicletas, em seção dedicada no MObfloripa.